Câmbio livre dá início a desvalorização desgovernada

28-10-2019


Kwanza já desvalorizou 2% face ao dia do anúncio, 23% face ao início do mês, 50% em relação a Janeiro do corrente ano e de 53% quando comparado ao período homólogo.

Um dia após o anúncio oficial da liberalização da taxa de câmbio por parte do Banco Nacional de Angola, os mercados reagiram com aumentos do rácio da desvalorização atingindo níveis históricos.

Segundo dados oficiais do BNA, quinta-feira, o dólar foi comercializado (media) a 464,553 Kz/USD, que com base nos cálculos do Mercado representa uma desvalorização na ordem de 2% face ao dia do anúncio, de 23% face ao início do mês, 50% em relação a Janeiro do corrente ano e de 53% quando comparado ao período homologo.

Com o câmbio livre o mercado será autoregulado e a desvalorização da moeda segue curso próprio.

Nas últimas semanas assistiu-se a uma desvalorização sucessiva da moeda nacional que foi justificada pelo governador do Banco Central, José de Lima Massano, como estando em linha com o calendário adoptado para a flexibilização da taxa de câmbio iniciado em 2018.

No mercado informal a desvalorização ronda os 3% desde o fim da taxa fluente, estando a nota a custar no paralelo 660 Kz/EU e 620 kz/USD.

Questionado durante a conferência de imprensa realizada para anunciar a medida em analise, sobre o impacto da medida nas importações e consequentemente sobre a inflação, Massano admite haver impacto, mas tranquiliza revelando que medidas foram tomadas abrandar o aumento dos preços.

Em resposta ao Mercado, fez saber que os importadores que usam cartas de créditos não precisam esperar 90 dias para fazer o pagamento no exterior, mas sim pagarem a mercadoria quando estas estiverem no País.